Rua Avelino Tallini, 171, Lajeado, RS
(51) 3714-7023 •

Princípios e objetivos

Atualmente possui 36 municípios e fundamenta-se nos princípios que seguem:
  1. indivisibilidade do ser humano e sua condição indeclinável de sujeito da história;
  2. respeito à individualidade e à consequente pluralidade de representação;
  3. desenvolvimento entendido como resultado da ação do homem, o qual, capaz de interferir na realidade, a modifica a partir da perspectiva da história, tendo em vista o crescimento de seu patrimônio cultural e material, garantido o consumo deste de forma justa entre os indivíduos e preservada a relação harmoniosa dos homens com a natureza e dos homens entre si;
  4. democracia na dinâmica dos processos e nas decisões;
  5. visão do Vale do Taquari como unidade regional que transcende aos simples somatório de áreas geográficas municipais. (ESTATUTO DO CODEVAT, art.4°, 2008)


Ainda, no Art. 5° do mesmo Estatuto (2008), enfatiza seus objetivos e destaca a
promoção do desenvolvimento regional, harmônico e sustentável, através da integração dos recursos e das ações do governo da região, visando à melhoria da qualidade de vida da população, à distribuição equitativa da riqueza produzida, ao estímulo à permanência do homem em sua região e à preservação e recuperação do meio ambiente, e especialmente: I – viabilizar a participação plural na discussão dos problemas e potencialidades e na definição de prioridades para a região; II – favorecer a identificação e percepção de uma comunidade regional; III – oportunizar a discussão de propostas autóctones para a superação de dificuldades e o aproveitamento de potencialidades regionais, de tal sorte que o desenvolvimento regional seja orientado e dirigido pelo povo do Vale do Taquari; IV – ser permanente espaço e escola de democracia; V – superar a apatia política mediante a valorização da cidadania; VI – descobrir e descrever, em processo participativo, a vocação socioeconômica do Vale do Taquari; VII – instituir na região um sistema de dados e informações, de acesso democrático, de sorte a favorecer a participação e o espírito empreendedor; VIII – elaborar planos estratégicos de desenvolvimento regional; IX – buscar a compatibilização das prioridades locais, regionais e estaduais; X – negociar junto aos Governos Federal, Estaduais e Municipais a viabilização e execução de projetos de âmbito regional; XI – promover, em toda ação e processo de desenvolvimento, a harmonia das relações dos homens entre si e do homem com o meio-ambiente, a melhoria na qualidade de vida da população e a distribuição equitativa da riqueza produzida.

Desde a implantação do referido Conselho, diferentes membros compuseram as diretorias. A busca pelos consensos regionais, com as diferentes representatividades setoriais, microrregionais e de interesses dos mais diversos, nortearam a formação das diretorias do CODEVAT.

VISÃO
“Ser uma região de referência no País em qualidade de vida, baseada em valores humanos e sustentabilidade ambiental, com fortes e duradouros relacionamentos interinstitucionais”.

VOCAÇÃO
“O Vale do Taquari possui uma economia diversificada, inovadora e empreendedora, voltada à educação como fundamento na rede de formação, à saúde integral e preventiva, à preservação da segurança e da ordem pública e ao turismo e lazer”.

VALORES
valores familiares, comunitários, de formação histórico-cultural, de respeito pelos saberes populares;
valores voltados para o trabalho, honestidade, ética, compromisso e organização;
valores da percepção do público como sendo de todos;
valores de identificação em que cada cidadão sente ser parte da construção do Vale do Taquari;
valores de respeito às autoridades, às leis e à ordem pública.

OBJETIVOS
  • promover a agregação de valor às cadeias produtivas vinculadas ao agronegócio, por meio de investimentos e incentivos, da busca à sua complementação e sustentabilidade (econômica, social e ambiental), da qualificação dos empreendimentos por meio de certificados de qualidade e/ou registros de procedência e do estímulo aos negócios voltados a pequenos e médios empreendimentos, baseados no associativismo e/ou cooperativismo.
  • promover investimentos em cadeias produtivas alternativas às do agronegócio, que possam também aproveitar as características regionais.
  • promover o desenvolvimento a partir da inovação tecnológica, de pesquisas, de patentes, de negócios inovadores, do empreendedorismo e da qualificação da mão-de-obra, para maior inserção no mercado globalizado e qualificação das empresas locais e dos produtos regionais.
  • promover investimentos no turismo regional, utilizando-se os atrativos naturais/culturais para inserir a região neste mercado.
  • promover a implementação de programas e projetos que possibilitem o acesso de todos os municípios às tecnologias da informação, em se tratando de telefonia, fixa e móvel, e internet.
  • promover projetos que viabilizem a implantação de sistemas que qualifiquem a energia distribuída.
  • promover a implantação de sistemas e/ou programas para saneamento (tratamento de esgotos, destinação de lixo, tratamento de resíduos e tratamento de água) e redução da carga orgânica despejada nos recursos hídricos, possibilitando, além da qualificação dos recursos hídricos, melhoria nas condições ambientais e sociais regionais.
  • promover a qualificação da logística regional visando à melhor exploração das potencialidades dos transportes rodoviário, ferroviário e fluvial disponíveis e da localização privilegiada da região.
  • promover a implementação de programa de habitações populares para prevenir a formação de centros habitacionais irregulares nos municípios do Vale do Taquari.
  • promover segurança pública de qualidade, suprindo seus órgãos com recursos humanos, materiais e tecnológicos.
  • promover programas/projetos/ações que visem ao atendimento de saúde integral (preventiva e corretiva), atuando nas mais diversas complexidades (baixa, média e alta).
  • promover a qualificação profissional e cidadã por meio da educação formal, não formal e profissionalizante, vinculadas aos saberes regionais.
  • promover programas/projetos/ações que visem à inserção/inclusão e assistência social.
  • promover programas/projetos/ações que tratem das questões de dependência química e drogadição.
  • promover espaços de construção da participação cidadã, de formação de lideranças regionais e a ampliação da representatividade política e classista em instâncias estaduais e federais.
  • promover a consolidação das relações interinstitucionais locais/regionais.
  • promover a revitalização de parcerias público-privadas.
  • promover mecanismos de gestão nos municípios.