Rua Avelino Tallini, 171, Lajeado, RS
(51) 3714-7023 •

Comunicado Oficial - Risco de Emergência Sanitária

  29 de maio de 2018
Diante das incertezas acerca da continuidade das paralisações e dos milhares de caminhões que seguem
parados ou bloqueados em diversos pontos do Rio Grande do Sul, um grupo de entidades do Vale do Taquari
reuniu-se na tarde desta terça-feira para discutir saídas para esta crise.
Considerando:
- Que existe hoje em campo, nos Vales do Taquari e Serra:
- 42 milhões de frangos
- 960 mil suínos
- 950 mil litros de leite produzidos por dia
- Que estes animais são propriedade de 5.800 famílias de produtores rurais;
- Que 3 milhões de frangos já estão sem alimento;
- Que 72 horas, contando desta terça-feira (29/5), é o prazo para que os frangos e suínos comecem a morrer
ou a praticar canibalismo;
- Que não haverá logística nem estrutura para o descarte desta quantidade de carcaças;
- Que uma mortandade neste volume acarreta risco sanitário de grandes proporções para a saúde humana,
risco de poluição de lençóis freáticos, cursos d´água e terras;
- Que as indústrias que processam estes itens empregam cerca de 9 mil funcionários;
- Que as indústrias de aves e suínos já estão com atividades paralisadas e que as indústria de leite deverão
parar por falta de insumos nas próximas 24 horas, contando desta terça-feira, 29/5.
As entidades decidem:
- Manifestar publicamente sua preocupação com a situação iminente de emergência sanitária a instalar-se
em toda a região nas próximas horas se a logística não for restabelecida;
- Manifestar sua contrariedade com a manutenção dos bloqueios, em especial aos veículos transportadores
de ração e insumos para animais;
- Solicitar aos organizadores que desbloqueiem imediatamente as vias interrompidas e/ou permitam a
passagem ou saída dos veículos;
- Afirmar sua inconformidade com as perdas irreversíveis já ocorridas, que prejudicam milhares de famílias
na região e que gerarão impactos negativos ainda não dimensionados.
Como um dos principais polos produtores de alimentos do país, as entidades do Vale do Taquari reforçam
seu convicção de que, se a atual situação se mantiver, poderá estar sendo gerada uma situação de
emergência sanitária sem precedentes e com consequências e dimensão desconhecidas na história do Rio
Grande do Sul.
Assinam as entidades:
Amvat – Associação dos Municípios do Vale do Taquari
Codevat – Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari
Consisa – Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Taquari
Sindicato dos Trabalhadores Rurais
Emater RS
Codeter – Colegiado do Desenvolvimento Territorial do Vale do Taquari


Lajeado, 29 de maio de 2018.