RSS Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari - Codevat Notícias de Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari - Codevat Tue, 23 Jul 2019 22:17:01 -0300 Tue, 23 Jul 2019 22:17:01 -0300 Zend_Feed_Writer 1.12.11 (http://framework.zend.com) http://codevat.org.br/rss Consulta Popular tem valor menor para 2019, R$ 20 mi Thu, 11 Jul 2019 20:54:27 -0300 http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/260/?consulta-popular-tem-valor-menor-para--2019-r-20-mi.html http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/260/?consulta-popular-tem-valor-menor-para--2019-r-20-mi.html
Ao longo dos últimos meses a questão foi esgotada em conversas entre os Coredes com o Estado sobre o repasse dos valores da Consulta Popular de 2018 e da próxima, que irá acontecer ainda em 2019. As deliberações incluíram o secretário de Governança e Gestão Estratégica do RS, Claudio Gastal e representantes do Fórum dos Coredes em reuniões anteriores e na própria assembleia desta quinta-feira.

O contexto
Previamente o Estado já havia feito uma oferta aos Fórum dos Coredes (de cerca R$ 20 milhões para 2019 e execução em 2020). A direção do Fórum, enquanto representante de todos os Conselhos Regionais de Desenvolvimento do RS, naquele momento, propôs um novo valor ao Estado, de R$ 80 milhões, que incluía os valores sem previsão de pagamento em 2019 (e votados em 2018) e mais R$ 50 milhões para o orçamento de 2020 (a serem votados em 2019).

Na Consulta realizada no último ano foi aprovado o valor de R$ 80 milhões para investimentos dos Coredes para todo o Estado em 2019. Deste valor, entretanto, cerca de R$ 50 milhões foi pago, prioritariamente para projetos nas áreas da saúde e da segurança pública. Os outros R$ 30 milhões não foram repassados e o Governo não tem recursos para quitar esta dívida. “Iríamos de R$ 80 milhões (votados em 2018) para R$ 20 milhões (a serem votados em 2019)”, comenta a presidente Cintia Agostini.

Em Porto Alegre, nesta quinta, a postura do Governo foi firme ao alegar não ter condições de flexibilizar esta parcela do orçamento destinada às Consultas e seguir as indicações das diretrizes da votação pública, inclusive comprometendo o repasse de parte do montante votado no último ano. Sobre este aspecto os Coredes seguem realizando o acompanhamento das questões junto ao Governo na expectativa de que a verba da última Consulta possa ser integralizada.

“O Estado está nos propondo R$ 20 milhões em 2019. Isso é cerca de R$ 700 mil para cada Corede, numa perspectiva média”, projeta Cintia. Boa parte da assembleia teve como tópico as consequências dessa decisão da gestão de Eduardo Leite. “Se aceitávamos ou não e, se aceitávamos, em quais condições. Deliberamos e concordamos em aceitar a proposta do Governo, mas o processo de consulta tem que ser simplificado — inclusive por não haver recurso para integralizar cerca de R$ 30 milhões votados em projetos 2018”.

As mudanças emergentes
Em conjunto, Governo e Fórum dos Coredes decidiram por algumas reorientações provisórias para garantir a realização do processo consultivo ainda em 2019. “Ninguém quer abrir mão da Consulta Popular e nós vamos fazê-la”, garante a presidente do Codevat.

Ao contrário das votações anteriores, que incluíam, também, valores para projetos nas áreas de Educação, Segurança e Saúde, neste ano a votação contemplará exclusivamente projetos de desenvolvimento regional. “Educação, Segurança e Saúde não farão mais parte do processo de consulta popular. Esta é uma questão fundamental, em razão de que até então a possibilidade não havia sido discutida decisivamente”, explica Cintia.

O caderno base para a votação de 2019 vai ser otimizado por cada um dos 28 Coredes — cada região vai votar seus projetos de desenvolvimento regional prioritários. “Em função do tempo teremos mais ou menos dois meses para o planejamento e execução do processo”, complementa Cintia. A perspectiva é de que a votação aconteça em setembro.

“A partir deste aceite dos Conselhos, de que faremos uma nova consulta, baseada no Plano de Desenvolvimento Estratégico e dos serviços públicos não sendo mais contemplados, transformaremos a decisão em processo e, depois, em uma metodologia”.

Esta será uma consulta excepcional, segundo a presidente do Codevat. As próximas edições devem ser realizadas com método diferente, adaptado a partir do que foi executado nas edições mais recentes e considerando o novo cenário proposto pelo Estado.

Outras pautas do Fórum
Além do tempo destinado às discussões sobre a Consulta Popular, durante a manhã aconteceu a assembleia ordinária do Fórum dos Coredes. O evento contou com a participação do presidente da Emater/RS - Ascar Geraldo Sandri. O presidente ressaltou as parcerias entre a entidade e os Coredes, destacando a atuação de ambas as entidades na promoção da agricultura familiar no RS.

A equipe do Sebrae apresentou aos Coredes e solicitou apoio na divulgação da Rede Simples - na qual Lajeado já participa e é identificada como referência no RS. A Rede Simples tem como objetivo facilitar a criação de novos empreendimentos por meio da desburocratização. “Hoje 174 municípios estão cadastrados na Rede no RS. A maioria dos municípios menores não está. Nesse sentido cabe um esforço de divulgação e identificação das possibilidades nestas cidades, chamamento que cabe aos Coredes”.

Texto: Lucas George Wendt/Codevat]]>
Presidente do Codevat palestra para estudantes em Encantado Wed, 03 Jul 2019 23:02:48 -0300 http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/259/?presidente-do-codevat-palestra-para-estudantes-em-encantado.html http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/259/?presidente-do-codevat-palestra-para-estudantes-em-encantado.html
A iniciativa, que é uma ação continuada proposta pela escola, tem como objetivo desenvolver e fortalecer a identidade regional dos jovens estudantes. Além disso, aspectos mais abrangentes, como o cenário político nacional e internacional e questões econômicas também foram temas discutidos pela presidente do Codevat com os presentes.

“Faço com eles uma análise de conjuntura regional, nacional e internacional”, comenta a presidente. “Trabalhei bastante a perspectiva profissional deles aqui na região em se tratando de possibilidades, conversamos sobre o empreendedorismo e o papel deles enquanto cidadãos e futuros profissionais do Vale do Taquari”.

Participaram estudantes do Ensino Médio, do Pós-Médio e do curso técnico em Contabilidade ofertado no local. “É muito interessante poder instigar os jovens a pensar aquilo que é a apropriação do seu local — Encantado e a região”, finaliza Cintia.

Texto por: Lucas George Wendt/Codevat]]>
Codevat participa de evento com senador Luís Carlos Heinze Mon, 24 Jun 2019 23:50:42 -0300 http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/258/?codevat-participa-de-evento-com-senador-luis-carlos-heinze.html http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/258/?codevat-participa-de-evento-com-senador-luis-carlos-heinze.html
Heinze tratou de temas comuns à região. “São os nossos temas. Algumas coisas sobre as quais ele falou são pautas que debatemos aqui no Vale do Taquari”, destaca Cíntia. O deputado também traçou o panorama do Governo nestes primeiros seis meses e se comprometeu a levar demandas da região adiante - questões econômicas e de infraestrutura, em especial, nas quais destaca o fortalecimento de parcerias público-privadas para alcançar os objetivos propostos.

Texto por: Lucas George Wendt/Codevat]]>
Procon-RS notifica operadoras de telefonia presentes no Vale do Taquari Fri, 14 Jun 2019 18:20:45 -0300 http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/257/?procon-rs-notifica-operadoras-de-telefonia-presentes-no-vale-do-taquari.html http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/257/?procon-rs-notifica-operadoras-de-telefonia-presentes-no-vale-do-taquari.html
O objetivo do grupo foi encaminhar a sequência das discussões acerca das limitações das telecomunicações vividas por moradores de cidades da região. No encontro da quinta a atenção foi dada, especialmente, à telefonia móvel, ponto considerado como o mais delicado no Vale do Taquari. À telefonia fixa e à internet estão reservadas novas reuniões em Porto Alegre.

Para entender
O Procon-RS foi procurado por representantes de municípios do Vale do Taquari previamente em razão das dificuldades que a região enfrenta na cobertura de sinal de telefonia e internet, em especial nas áreas consideradas rurais. No início do ano o Codevat, em parceria com outras entidades da região, elaborou um formulário de pesquisa buscando identificar e quantificar as áreas mais sensíveis - instrumento que embasou a fala dos representantes da região em Porto Alegre e que também foi entregue, em abril, ao MP e ao Procon em reunião com a Amvat, em Estrela. A pesquisa consultou usuários e buscou a opinião das prefeituras sobre a questão, contando com as respostas de 22 delas.

A notificação
A decisão do Procon pela notificação considerou a fala dos prefeitos, na reunião da quinta, momento no qual estiveram 15 gestores públicos da região; e as indicações dos usuários e prefeituras, consultados por meio de formulário online aplicado pelo Codevat.

As empresas prestadoras de serviços na região - Oi, Tim, Claro, Vivo - têm, a contar a partir de ontem (13), dez dias de prazo para elaboração e entrega de um relatório técnico sobre a sua atuação no Vale do Taquari. O Procon-RS também espera a entrega de um plano de ação que contemple melhorias no mesmo prazo.

O presidente da Amvat e prefeito de Teutônia, Jonatan Brönstrup, afirma que a região sai com expectativas positivas do encontro. As empresas buscam alternativas para a ampliação e melhora do sinal na região, com ações iniciais que devem ser realizadas ainda neste ano.

O Procon, o Codevat, a Anatel e a Amvat seguirão acompanhando o caso.

Texto por: Lucas George Wendt/Codevat]]>
Fórum dos Coredes discute Consulta Popular em 2019 Thu, 13 Jun 2019 20:33:08 -0300 http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/256/?forum-dos-coredes-discute-consulta-popular-em-2019.html http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/256/?forum-dos-coredes-discute-consulta-popular-em-2019.html
No encontro do grupo com a Secretaria de Governança e Gestão Estratégica (SGGE) a Consulta Popular 2019-2020 esteve em pauta. Na Consulta realizada no último ano foi aprovado o valor de R$ 80 milhões para investimentos dos Coredes para todo o Estado em 2019.

Deste valor, entretanto, cerca de R$ 50 milhões foi pago, prioritariamente para projetos nas áreas da saúde e da segurança pública.

“Os outros R$ 30 milhões não foram pagos e o Governo não tem recursos para quitar esta dívida”, comenta Cintia. O fato, no entanto, não representa novidade, uma vez que notícias sobre o contingenciamento dos valores da Consulta Popular já foram divulgadas previamente neste ano.

Para Consulta em votação em 2019, que prevê montante de investimento sob responsabilidade dos Coredes no orçamento de 2020, o Estado propõe outras medidas de redução dos valores a serem dispensados aos Coredes no ano que vem.

“Nos propõem R$ 20 milhões para votação para todo o RS neste ano. Iríamos de R$ 80 milhões (votados em 2018) para R$ 20 milhões (a serem votados em 2019)”, esclarece Cintia.

A reunião teve viés deliberativo. “Como vamos nos proceder e qual será nossa posição?”, questiona a presidente. “Nós já fizemos uma contraproposta para o Estado, de como gostaríamos de trabalhar. Queremos os R$ 30 milhões do último ano e mais R$ 50 milhões para votar neste ano. Falamos, então, em R$ 80 milhões. Neste valor estamos considerando o passivo (o valor deste ano) e o valor para o próximo”, defende ela.

A secretária executiva do Fórum e presidente do Codevat é objetiva. “Queremos trabalhar com o governador Eduardo Leite. Os R$ 30 milhões votados no último ano têm que ser pagos. Esse recurso é resultado da participação popular. A sociedade já participou e o montante deve ser considerado uma dívida pelo Estado”.

Por outro lado, encaminhar outro processo de consulta com valores tão baixos quanto os projetados pelo Governo - R$ 20 milhões - é uma questão que precisa ser bem avaliada, argumenta Cíntia. “Por óbvio ninguém quer abrir mão da Consulta Popular, mas num cenário como o que estamos lidando o processo precisa considerar a realidade das nossas regiões e, também, as possibilidades do Estado. É isso o que queremos discutir com o governador”.

Os representantes da SGGE encontraram o fim da reunião com a incubência de propor uma agenda conjunta com o Eduardo Leite para discussão destas questões. A data do encontro com os representantes do Fórum será divulgada em breve.

Texto por: Lucas George Wendt/Codevat]]>
Codevat pauta discussão sobre EGR com Estado Fri, 31 May 2019 19:50:33 -0300 http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/255/?codevat-pauta-discussao-sobre-egr-com-estado.html http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/255/?codevat-pauta-discussao-sobre-egr-com-estado.html
Codevat, Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), Associação dos Vereadores do Vale do Taquari (Avat) e Câmara de Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CICVT) estiveram presentes.

“Essa foi uma demanda levantada pelo Conselho, que chamou a reunião na capital com a pasta e convidou as demais entidades - o que demonstra a unicidade regional, já que estávamos todos lá”, diz a presidente do Codevat, Cintia Agostini. O Codevat pauta o tema antevendo a necessidade de aprofundar as discussões sobre a ação da EGR e os impactos da concessão.

Do outro lado da mesa, em Porto Alegre, o secretário Gastal convidou para a reunião a representantes da própria EGR - empresa pública responsável por administrar as estradas estaduais com pedágios no RS -, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) e a equipe que tem trabalhado com as concessões estaduais no Governo.

“Quando se trata do conceito de concessão e do que está sendo pensado neste caso, isso já está desenhado pelo Governo”, revela a presidente do Codevat.

As rodovias que estão sob responsabilidade de EGR entram agora na segunda etapa de um programa de Governo que vai culminar com a extinção da Empresa. Sobre a insuficiência da entidade, sensível durante o encontro a partir das falas dos representantes regionais, Gastal se comprometeu em levantar todas as informações relacionadas aos investimentos da EGR e da situação do Daer e vir ao Vale do Taquari para tratar deste tema e esclarecer outros pontos.

Mesmo que o encontro não tenha trazido uma resposta definitiva aos anseios da comunidade regional, serviu como uma forma de indicar ao Governo do Estado o descontentamento do Vale com a questão. “O Estado precisa se apropriar da EGR para dar uma resposta conclusiva para a sociedade”, defende Cíntia.

A Empresa vai continuar operando até o processo de concessão, atualmente em fase de projeto, seja concluído e haja a definição de qual organização entra em substituição.

Texto por: Lucas George Wendt/Codevat]]>
Codevat e Amvat se reúnem com Procon e SJCDH sobre telecomunicações no Vale Fri, 26 Apr 2019 19:15:18 -0300 http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/254/?codevat-e-amvat-se-reunem-com-procon-e-sjcdh-sobre-telecomunicacoes-no-vale.html http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/254/?codevat-e-amvat-se-reunem-com-procon-e-sjcdh-sobre-telecomunicacoes-no-vale.html
Por meio de um formulário divulgado na página do Conselho no Facebook e na imprensa regional, o Codevat buscou entender previamente a realidade da área das telecomunicações no Vale do Taquari - apontada como crítica em um levantamento anterior, de 2014, e uma das prioridades do plano de estratégico regional do Corede.

O evento desta sexta-feira contou com a presença do secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH) do governo de Eduardo Leite, Catarina Paladini; da diretora do Procon RS, Maria Elizabeth Pereira e do presidente da Amvat e prefeito de Teutônia Jonatan Brönstrup. O dirigente da Amvat e a presidente do Codevat, Cíntia Agostini, aproveitaram a oportunidade para entregar ao titular da SJCDH e a diretora do Procon um ofício que apresenta as demandas da região na área.

O documento, entregue em conjunto com a notificação do arquivamento da pauta anterior acompanhada pelo Ministério Público (MP) entre 2014 e 2018, a pesquisa realizada à época e o novo levantamento, encerra solicitando o apoio das autoridades para o atendimento pleno da cobertura de sinal no Vale do Taquari.

A pesquisa aplicada neste ano observou os mesmos parâmetros da realizada em 2014. A despeito do tempo de aceite de respostas, mais de um mês, foram registrados 57 retornos da população regional, oriundos de residentes em 22 municípios do Vale do Taquari. Os respondentes foram convidados a opinar a partir de suas experiências com a telefonia fixa, a móvel e a internet na região.

A telefonia fixa
Todos os municípios possuem serviços de telefonia fixa no Vale do Taquari - a cobertura da Oi é de 73,7% nos 22 indicados pelos respondentes da pesquisa. No entanto, metade dos respondentes (50%) informa que este serviço não está disponível em todo o município, uma vez que são várias as áreas rurais com problemas na telefonia fixa.

A rede móvel
Em relação às operadoras mais utilizadas no Vale do Taquari, a percepção dos respondentes é a seguinte:

91,2% - Vivo
70,2% - Claro
52,6% - Tim
40,3% - Oi

Em se tratando dos serviços prestados, 90,8% dos respondentes apontam que os serviços são péssimos, ruins ou regulares. O percentual da pior avaliação - a péssima - é superior aos 35%. A pior classificação é da operadora Tim, seguida pelas operadoras Oi e Claro.

A conexão de internet
Em se tratando dos serviços de internet foram indicadas 18 diferentes empresas prestadoras de serviços. Para 63,1% dos respondentes as conexões prioritárias são fibra óptica e rádio; seguidas por rede móvel (3G/4G) e rede cabeada.  A avaliação dos serviços de internet na região também é negativa. Para 79,3% dos respondentes os serviços de internet ou são péssimos, ou ruins ou regulares.

Texto por: Lucas George Wendt/Codevat]]>
Codevat participa da construção do Plano Plurianual do Estado Thu, 25 Apr 2019 16:33:48 -0300 http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/253/?codevat-participa-da-construcao-do-plano-plurianual-do-estado.html http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/253/?codevat-participa-da-construcao-do-plano-plurianual-do-estado.html
No documento entregue ao Governo do Estado, que reúne cinco estratégias prioritárias para os dois Coredes, a Região Funcional 2 (Vales do Rio Pardo e Taquari), destaca que suas linhas prioritárias de atuação almejam a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

Assim, as estratégias de desenvolvimento perpassam a qualificação de cadeias produtivas tradicionais (APLS de agroindústrias); a infraestrutura para solucionar problemas sócio-ambientais e aumentar a produtividade regional (saneamento básico, telecomunicações e energias renováveis); e, o desenvolvimento tecnológico e inovação, que possibilitam o aumento da competitividade regional.

O evento aconteceu no auditório do Centro Administrativo Fernando Ferrari (CAFF).

Texto por: Lucas George Wendt/Codevat]]>
Em assembleia geral, Codevat reforça atuação por demandas regionais Wed, 17 Apr 2019 16:53:59 -0300 http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/252/?em-assembleia-geral-codevat-reforca-atuacao-por-demandas-regionais.html http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/252/?em-assembleia-geral-codevat-reforca-atuacao-por-demandas-regionais.html
Em relação às contas, que foram apresentadas aos membros da assembleia pela presidente do Codevat, Cintia Agostini, o repasse do convênio com o governo do Estado para 2018 era de R$ 24.241,45. O valor empregado pelo Codevat para o desempenho e manutenção de suas atividades no período foi de R$ 23.488,01, o que resultou em devolução ao Estado de R$ 753,44. Os valores da prestação de contas específicos da Consulta Popular para o último ano - o montante recebido pelo Conselho para aplicação no desenvolvimento deste trabalho - foram: R$ 29.540,09 recebidos; dos quais R$ 24.814,04 foram utilizados. A devolução ao Estado foi de R$ 4.726,05.

Regionalização do Estado
Os diferentes recortes regionais existentes no Rio Grande do Sul dificultam as ações municipais e a implementação das políticas públicas estaduais. Assim, o tema da regionalização do Estado volta ao debate com o novo governo estadual. Ainda em 2018 aconteceram discussões sobre a regionalização, prioritariamente nas áreas vinculadas às secretarias de educação e saúde. “Existem 27 recortes regionais diferentes no Rio Grande do Sul”, diz a presidente. “A gestão do governo do estado quer tratar deste tema”, revela. “Vamos sugerir utilizar um recorte que adeque os municípios lindeiros e trabalhe com as regionalizações de planejamento, vinculadas aos Coredes. A medida que o governo sinalizar querer discutir estaremos prontos para o debate”.

EGR e concessões de rodovias estaduais
A presidente também trouxe para o debate as rodovias estaduais, dada a incerteza da continuidade dos serviços da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). “Como será a transição? Não podemos deixar isso acontecer sem debate qualificado. Quem entra depois? Será feita uma nova concessão ou o estado assume a responsabilidade?”. Um pedido de pauta conjunta entre a Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), Associação dos Vereadores do Vale do Taquari (Avat) e Câmara de Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CICVT) na região com a Secretaria de Gestão e Governança Estratégica do governo do estado já foi solicitada. “A agenda deve sair nos próximos dias”.

Metodologia e pagamentos da Consulta Popular
Cíntia trouxe os dados da referentes à Consulta Popular. “Neste ano será pago aos Coredes cerca de R$ 40 milhões do valor da consulta realizada no último ano. Prioritariamente é a Saúde. A Segurança vai receber valor também”. No geral, a presidente comentou que existem poucas informações sobre como se dará este processo, até então. O orçamento do Estado não tem condições de comportar os repasses integrais do que foi buscado em 2018. Isso significa dizer que, em um primeiro momento, apenas os valores de projetos encaminhados pelo Vale na área da Saúde e Segurança serão contemplados com repasse para execução.

Em 2019 a Consulta Popular chega aos 20 anos. “Ela nasceu com o objetivo de tratar projetos de desenvolvimento regional”, diz Cíntia. “Ao longo do ano os Conselhos devem sugerir debates para a construção de um processo mais qualificado de debate regional para que a gente possa iniciar os próximos 20 anos”. A presidente destaca a viabilização de uma nova metodologia que tenha um caráter mais regional. “Devemos pensar cenários de projetos que tenham um volume maior de recurso e que possam gerar impacto regional”.

Telecomunicações no Vale do Taquari
Um tempo da assembleia foi dedicado à apresentação dos resultados da pesquisa recentemente realizada para verificação das condições das telecomunicações na região. A tarefa do Vale do Taquari é reiniciar discussões que tiveram espaço nas pautas do Conselho entre 2014 e 2016. “Em quais condições que se faz esse debate? Vamos ao Ministério Público? Vamos à agência reguladora?”, questiona Cíntia aos presentes. “Alguma coisa temos que fazer.” Em pauta conjunta com a Amvat, Codevat, CICVT concordou-se em levar a demanda ao Procon e ao Ministério Público. Uma reunião da Amvat, em 26 de abril, será aproveitada para apresentação das problemáticas das telecomunicações aos dois órgãos - Procon e MP.

CCR ViaSul
A pauta principal da assembleia geral do Codevat foi a apresentação da empresa CCR ViaSul, responsável pela concessão da Rodovia da Integração do Sul (BRs 386, 448, 290, 101).

O engenheiro e diretor-presidente da CCR MSVia, Roberto Calixto, e a gestora de relações institucionais do Grupo CCR, Simone Suzzin, estiveram presentes para socializar o projeto da CCR ViaSul na construção da Rodovia da Integração do Sul. “A CCR atua em sete estados, mas esse projeto é o primeiro no RS”, destaca Calixto. A empresa tem duas décadas de atuação e trabalha com concessão de rodovias, mobilidade urbana, aeroportos, serviços de aeroporto e transporte de dados.

Dos 36 municípios do Vale, dez deles tem trajeto no percurso da concessão. Simone destacou a intenção da CCR em atuar em conjunto com os municípios para construir uma relação fortalecida. “Na última segunda foram finalizados os primeiros 60 dias de operações completa na Freeway. Foram 5,1 mil atendimentos neste período”, revela Calixto. A particularização dos investimentos da CCR no projeto, em especial no que se relaciona com a BR 386, foi levantada pelo diretor-presidente. Na BR 386 já foram realizadas roçadas, desobstrução de bueiros e alguma pavimentação. “Essas são as tarefas da primeira intervenção, que é muito superficial. Não é estrutural”.

Calixto traz outros dados, que indicam que já foram retirados 83 caminhões de lixo na BR-386. São 18 equipes apenas nesta rodovia. Cerca de 1 mil trabalhadores estão envolvidos nos serviços iniciais intensivos ao longo de todas as BRs - 101, 290, 448, 386. A cobrança de pedágio na BR 386 inicia em fevereiro de 2020. Para o mesmo ano está prevista a restauração do pavimento. A duplicação da via está prevista para 2021.

Texto por: Lucas George Wendt/Codevat]]>
CONVITE - Oficina de análise e seleção de projetos passíveis de financiamento do BRDE Mon, 04 Feb 2019 14:33:20 -0200 http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/251/?convite---oficina-de-analise-e-selecao-de-projetos-passiveis-de-financiamento-do-brde.html http://codevat.org.br/noticia/visualizar/id/251/?convite---oficina-de-analise-e-selecao-de-projetos-passiveis-de-financiamento-do-brde.html A partir do Planejamento Estratégico, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) avaliou os projetos citados no plano e propôs reuniões regionais, com o intuito dos municípios/empresas/entidades avaliarem as linhas de financiamento do BRDE ou outras possibilidades de captação de recursos para projetos. Participa dessa oficina além do BRDE, representantes do Ministério da Integração e da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG).
Nesta oficina estão convidados a participarem representantes dos setores público e privado. 

Pedimos que os municípios repassem esse convite aos interessados e tragam pelo menos dois representantes,  um para avaliar as linhas de financiamento do BRDE  e outro para as outras possibilidades de captação de recursos para projetos.
As entidades em geral e setor privado pedimos que compareçam e que repassem esse convite a todas as pessoas que achar necessário, pois todos podem participar dessa seleção.

Confirmações de presença pelo e-mail codevat@univates.br até o dia 15 de março.
]]>